Posts com tag “flamenco

Bruna Ricardi “Buru”

Bruna Ricardi nasceu em São Paulo no dia 24 de setembro de 1983. Aos 10 anos começou sua relação com música e dança em aulas de inicialização musical. Sempre interessada pela música, cultura e dança espanhola, conheceu no ano de 2000 aquela que seria sua mestra, a famosa bailaora Ana Esmeralda, a qual despertou ainda mais sua paixão pelo flamenco. Após este encontro, começou então as aulas de dança no Studio Ana Esmeralda. Com três anos de estudo, deu sua primeira aula para uma turma iniciante e entrou para o Ballet Ana Esmeralda. Formada pela Associação de Cultura e Arte Flamenca do Brasil, desde 2005 dedica-se a ensinar, responsavelmente, e a divulgar, apaixonadamente, a arte e a dança flamenca em shows e apresentações pelo Brasil. Além de estar em constante aprendizado e reciclagem de seu conhecimento, fazendo cursos com bailaores e bailoras renomados, como La Truco, Domingo Ortega e María Juncal.

De Março a Setembro de 2009 participa do grupo Anarkoflamenco, dirigido pelo bailarino Bernardo de Barros “Maluk”, no qual participa de ensaios diários vigorosos com uma abordagem mais moderna da dança flamenca.

Em maio de 2009 dirigiu artisticamente, ao lado de sua mestra Ana Esmeralda, o show “Fuerza y Pasión” em comemoração aos 60 anos de carreira da famosa bailaora espanhola, com apresentação no Teatro Brigadeiro, em São Paulo. A partir de então coreografou e assinou direção artística dos shows “Camino Flamenco”, “Flamenco – Alma y Pasión” e, com parceria de Renata Nunes, “Café de Chinitas”. 

  • 2002  – Inicia o curso de Dança Flamenca com a Maestra Ana Esmeralda;
  • 2005 – Passa a fazer parte do Ballet Ana Esmeralda;
  • 2006 – Inicia o ensino da Dança Flamenca na Associação de Cultura e Arte Flamenca do Brasil;
  • 2006 – Conclusão do Curso Avançado de Dança Flamenca com a Maestra Ana Esmeralda, certificado pelo Consulado General de España, com duração de 60 meses, na Associação de Cultura e Arte Flamenca do Brasil;
  • 2008 – Dirige o núcleo de Flamenco do Studio Ana Esmeralda;
  • 2009 – Inicia a direção de espetáculos do Studio Ana Esmeralda;
  • 2009 – Entra no grupo Anarkoflamenco, com direção do bailarino Bernardo de Barros “Maluk”;
  • 2009 – Assina, ao lado de sua Maestra Ana Esmeralda, a direção artística do show “Fuerza y Pasión”, em São Paulo;
  • 2010 – Dirige e coreografa espetáculos.
  • 2011 – Assume a coordenadoria da Escola de Dança Corporeo.
  • 2012 Começa a dar aulas de flamenco no Centro Cultural Tabata Tacalome
  • 2015 – Ministra aulas no Espaço Hana Aysha Danças Árabes e na Escola de Dança Gisela Dória.

  • Dez/2002 – “Flamenco Cuerpo y Alma”, no Teatro Gazeta. Como corpo de baile.
  • Dez/2003 – “Presencia de España”, no Teatro João Caetano. Como corpo de baile.
  • Dez/2004 – “Presença de Espanha”, no Teatro Gazeta. Como corpo de baile.
  • Jun/2005  – “Alma Flamenca”, no Teatro João Caetano. Como corpo de baile.
  • Dez/2005 – “Simplesmente Flamenco”, no Teatro Gazeta. Como corpo de baile.
  • Dez/2006 – “Zambra Flamenca”, no Teatro Gazeta. Como corpo de baile.
  • Dez/2007 – “Una Historia Flamenca”, no Teatro Gazeta. Como solista e corpo de baile.
  • Dez/2009 – “Fuerza y Pasión”, no Teatro Brigadeiro. Como diretora artística, solista e corpo de baile.
  • Dez/2010 – “Camino Flamenco”, no teatro Gazeta. Como diretora artística, coreógrafa e corpo de baile.
  • Dez/2011  “Café de Chinitas”, no teatro Bibi Ferreira. Como diretora artística, juntamente com Renata Nunes, coreógrafa e corpo de baile.
  • Nov/2012  “Dom Quixote”, no Centro de Convenções Victor Brecheret, em Atibaia. Como convidada especial para fazer o papel de Dulcinéia. O espetáculo contou com Orquestra de Sopros regida pelo Maestro Rogério Wanderley Brito e coreografias de Sérgio Bruno.
  • Abr/2013  “Flamenco, Alma y Pasión”, no Teatro Ressurreição. Como diretora geral, diretora artística, coreógrafa e solista.
Anúncios

Arte

Arte é tudo que é feito pelo ser humano que imprime um sentimento, uma emoção, um conceito, algo que mexe com nossos sentidos, com o objetivo de atingir a consciência do indivíduo e afetá-lo, seja por alguns instantes, seja pela vida.  A arte é um meio de transformar a alma. É através dela que o artista se coloca no mundo. Ela é um símbolo expressivo de quem nós somos.

Quando nos identificamos com certa arte é porque nos conectamos ao artista, compreendemos seu símbolo e, mais importante, gostamos dele! Nesse momento nossa alma se transforma, se expande e nosso corpo aumenta o rol de sensações.